ADFA faz ponto de situação

AdfaADFA

RESISTIR – A primeira página do ELO de Março diz tudo: apesar do Estado de Emergência em que vivemos, em esforço de contenção da COVID-19, a ADFA está a funcionar em teletrabalho, ao lado dos associados e seus familiares. Os deficientes militares são um grupo de risco no caso do Coronavírus mas os associados da ADFA não desistem, estão serenos no combate à doença, e cumprem as indicações oficiais para ultrapassar com sucesso as dificuldades que o Mundo sofre. O apelo das autoridades é: “fique em casa, proteja-se, por todos nós”.

No dia 24 de Março a ADFA fez um ponto de situação sobre a conjuntura actual, que, por causa da COVID-19, levou a Associação a adoptar o regime de teletrabalho, garantindo os serviços prestados aos associados de forma não presencial.

Após contactos com os presidentes das Direcções das Delegações e Serviços afectos à Sede Nacional, no sentido de recolher elementos sobrecomum se processa esse trabalho e apoio prestado aos associados, a ADFA apurou que “no geral, a grande maioria dos colaboradores das Delegações encontra-se em regime de teletrabalho e o apoio aos associados continua a ser prestado, embora a procura tenha diminuído consideravelmente”.

Todos os presidentes de Direção de Delegação contactados estão a par dos acontecimentos e em permanente ligação com as Delegações e com os Órgãos Sociais Nacionais, não havendo conhecimento, até à data, de associados infectados pelo Coronavírus – COVID-19.

Esforço colectivo

Dadas as circunstâncias, as Delegações desdobram os seus esforços para funcionar em teletrabalho e também realizando iniciativas como a da Delegação da Madeira, que aproveita para actualizar os dados referentes aos processos dos associados na Plataforma Informática de Gestão Interna de Sócios (GIS).

No quadro que publicamos mostra-se um resumo sobre a actividade dos serviços das Delegações.

Cartões ADM

Uma das preocupações manifestadas pelos associados, transversais a todas as Delegações, é a validação dos cartões da ADM. De acordo com as mensagens de correio electrónico enviadas às Delegações pelo Serviço de Apoio Jurídico, com informação da ADM e da Direcção de Serviço de Pessoal – Repartição de Apoio Social, de 24 de Março, foi informado que a ADM, no âmbito da actual conjuntura consequência da COVID-19, publicou aviso de prorrogação da validade do cartão ADM: “Os beneficiários cujo cartão ADM caducou, ou irá caducar no curto prazo, informa-se que, caso não sejam no entretanto renovados, o cartão caducado vigora até 30JUN2020, responsabilizando-se a ADM por todos os cuidados prestados ao beneficiário (desde que em conformidade com as demais regras e orientações em vigor)” e que “os beneficiários ADM do Ramo Exército, terão possibilidade de efetuar a renovação por intermédio de uma das seguintes modalidades: a) Efectuando a entrega dos seus pedidos num qualquer (PA) Posto de Atendimento da ADM, ou num qualquer CAS (Centro de Apoio Social), do IASFA; b) Enviando os seus pedidos por correio para a seguinte morada: DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE PESSOAL , ADM , Quartel da Serra do Pilar, Rua Rodrigues de Freitas, 4430-211 VILA NOVA DE GAIA; c) Digitalizando os seus pedidos e enviando-os para o e-mail adm.dsp@exercito.pt, efectuando o envio dos documentos originais com referencia da data de envio por email para a morada indicada no ponto anterior”. O processo de renovação será mais célere sempre que efectuado via de correio electrónico (adm.dsp@exercito.pt).

Renovações

Para renovação dos Cartões de Lista Vermelha ou Verde, os interessados devem contactar o Ramo, para ter mais informações, através das moradas e telefones seguintes:

– Força Aérea: Av. Leite Vasconcelos, Alfragide; 21 472 61 20 (callcenter) ou 214723500 (direto);

– Exército: Campo de Santa Clara, Estado-Maior do Exército – Serviço de Pessoal 213848900;

– Armada: Rua do Arsenal, Lisboa, 21 325 54 00 ou Marinha.rp@marinha.pt.

ELO em casa

Com a edição de Março já distribuída (foi para impressão na Gráfica na madrugada de 19 de Março), o ELO circulou com um atraso que foi determinado pela conjuntura associativa e social. O cumprimento das formalidades editoriais e do calendário para as reuniões estatutárias do Conselho Nacional (agendado para 14 de Março) e da Assembleia-Geral Nacional Ordinária (agendada para 28 de Março), que seriam ambas canceladas devido às medidas de contenção face ao COVID-19, e a emergência nacional provocada pela pandemia de Coronavírus, forçaram a que o ELO só fechasse a edição em 18 de Março, suprimindo algumas secções para poder incluir as alterações de última hora e os principais documentos da ADFA a apresentar numa AGNO a agendar futuramente. O atraso fica explicado mas também fica registada a procura dos associados pelo seu “elo de ligação”.

A Direcção Nacional regista que “a ADFA, apesar dos condicionalismos, continua bem viva e a garantir a ligação a todos os associados, aproveitando esta ocasião para realçar a dedicação associativa e a responsabilidade de todos os presidentes que asseguram, nas suas Delegações, a coesão e a solidariedade da ADFA”, evidenciando também positivamente a prestação dedicada dos funcionários e colaboradores ao nível nacional.