Prorrogação do Estado de Emergência e reabertura dos serviços da ADFA

AdfaADFA

A Direcção Nacional comunicou a todas as Delegações e aos trabalhadores e
colaboradores da ADFA as suas deliberações, no âmbito a prorrogação do Estado deEmergência e reabertura dos serviços da ADFA.
A Direcção Nacional, tendo em consideração o Decreto n.º 4/2021, de 13 de Março, que regulamenta o Decreto do Presidente da República n.º 25-A/2021, de 11 de Março, de renovação da declaração do Estado de Emergência, no período de 17 a 31 de Março de 2021, fundamentado na verificação de uma situação de calamidade pública provocada pela SARSCoV-2, decidiu:
1 – Que as medidas anteriormente divulgadas pela ADFA se mantenham em vigor de 17 a 31 de Março de 2021.
2 – Considerando a planificação faseada de reabertura de alguns Sectores, Serviços e Instituições, a ADFA decidiu retomar a abertura de todos os Serviços da Sede Nacional
e das Delegações a partir do dia 5 de Abril, tendo por base o estipulado no ponto 2, do artigo 37.º, do Decreto n.º 4/2021, de 13 de Março.
3 – A reabertura de todos os Serviços, na Sede Nacional e em todas as Delegações, far-se-á a nos horários normais e garantindo o atendimento presencial dos associados e outros utentes.
4 – Que se garanta o cumprimento das regras básicas divulgadas pela Direcção-Geral de Saúde (DGS), designadamente o uso obrigatório de máscara, a higienização das mãos e o cumprimento do distanciamento social.
5 – No acesso dos associados e outros utentes ao Edifício da Sede Nacional – Serviços afectos à Direcção Nacional e à Delegação de Lisboa – continua a vigorar a triagem na entrada do edifício (Hall de entrada), dando cumprimento às regras básicas divulgadas pela DGS, nomeadamente o controlo da temperatura corporal, o uso obrigatório de máscara no acesso e permanência nos espaços da Associação, a higienização das mãos e o cumprimento do distanciamento social.
6 – No acesso aos Serviços Clínicos da Delegação de Lisboa, a partir do dia 5 de Abril, os procedimentos passam a ser os seguintes:
a) As consultas médicas e tratamentos de Fisioterapia passam a realizar-se nos dias estipulados para cada uma das valências, no horário normal de funcionamento da Clínica e mediante marcação prévia;
b) O acesso aos serviços clínicos passa a ser efectuado pela entrada principal do Edifício da Sede Nacional (hall de entrada), onde será realizada a triagem e o controlo de entradas dos utentes;
c) Na sala de espera (sala do bilhar) apenas podem permanecer no máximo quatro utentes;
d) No espaço de atendimento dos Serviços Clínicos, só é permitida a permanência da funcionária e do associado ou utente que for chamado para atendimento.

Em face do exposto, a Direcção Nacional apela para o estrito cumprimento das medidas de segurança, já que protegendo-se a si está igualmente a proteger os outros.